terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

BEE GEES

(da esquerda para direitaMaurice Gibb, Robin e Barry

Bee Gees foi uma banda formada pelos irmãos Barry, Robin e Maurice Gibb. Fizeram sucesso desde 1966 até o início da década de 2010, estando entre os maiores vendedores de discos de todos os tempos.

Passaram por diversos ritmos musicais, do rock psicodélico às baladas, passando pelo country rock, disco, R&B, música romântica, terminando no pop rock moderno, tendo vendido aproximadamente 220 milhões de discos. Foram incluídos no Hall da Fama dos Grupos Vocais (en), no Hall da Fama do Rock and Roll, no Hall da Fama dos Compositores e ganharam dez prêmios Grammy.

O álbum Saturday Night Fever,  trilha sonora do filme Embalos de Sábado à Noite , é a segunda trilha sonora mais vendida de todos os tempos, chegando a ocupar a sétima colocação como álbum mais vendido da história com mais de 42 milhões de cópias, de acordo com a revista Billboard: 300 Best-selling Albums of All-Time.

Clipe aqui para ver o video da musica Embalos de Sabado a Noite

O grupo possui muitos recordes pela Billboard Hot 100 entre os quais, estarem em oitavo lugar entre os artistas com mais canções que ficaram em primeiro lugar nas paradas; o álbum Saturday Night Fever chegou à segunda posição, entre os álbuns com mais canções que ficaram em primeiro lugar, perdendo apenas para Bad de Michael Jackson. 

São os artistas que tiveram mais músicas em primeiro lugar nos anos 70, foram nove no total, atingiram o segundo lugar entre os artistas com mais canções consecutivas em primeiro lugar com seis músicas, entre 1975 e 1979; conseguiram ainda o terceiro lugar entre os artistas que ocuparam simultaneamente o primeiro e segundo lugares, com as músicas Saturday Night Fever e Stayin' Alive. 

O Hall da Fama do Rock and Roll diz em uma citação: "Somente Elvis Presley, The Beatles, Michael Jackson, e Paul McCartney superam os Bee Gees em recordes e vendas".

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Bruno Mars é o grande vencedor do Grammy 2018




O cantor de 32 anos ganhou em todas as categorias que concorria e levou seis prêmios (Disco do Ano, Música do Ano, Gravação do Ano, Performance R&B, Música R&B e Álbum R&B).

O álbum "24k magic", de Mars, ainda levou na categoria Melhor Engenharia de Som, prêmio para a equipe técnica que produziu e masterizou o disco.

Kendrick Lamar levou quatro prêmios das categorias rap (colaboração, álbum, música e perfomance) e Melhor Clipe.

"Despacito", maior hit de 2017 e que concorria em duas das principais categorias, saiu sem prêmios.


Outros premiados

Ed Sheeran ganhou dois prêmios (performance solo de pop e álbum de pop com vocal), mas não foi à premiação.
Nas categorias de rock, The War on Drugs levou de álbum, Foo Fighters ganhou de música e Leonard Cohen ganhou um Grammy póstumo de melhor performance.

Outro troféu póstumo foi para Carrie Fisher, que ganhou na categoria de melhor álbum falado, com o audiobook de sua biografia, "Memórias de princesa". Greg Kurstin (Beck, Kendrick Lamar, Foo Fighters) levou como Produtor do Ano.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Technics apresenta dois novos modelos “premium” de toca-discos



Feitos para os audiófilos, o SP-10R e o SL-1000R devem ser lançados em breve, a preços salgados

Na semana passada, a empresa de equipamentos para DJs Technics debutou na CES Conference — a maior feira de inovação tecnológica no mundo, em Las Vegas — seu novo toca-discos: o SP-10R.

Já em agosto a empresa havia anunciado seus planos para ressuscitar o clássico SP-10, transformando-o no “toca discos mais premium de todos os tempos”; o resultado é esse revival “gourmetizado” da peça originalmente lançada nos anos 1970.

Essa versão é toda em prata com um prato dourado, mas para além das cores está o design — que junta o retrô com o moderno — e as melhorias, como uma camada de borracha abaixo do prato que limita vibrações indesejadas, e o fato de que o toca-discos funciona em três velocidades: 33 ½, 45 e 78rpm, com a rotação escolhida visível no display de LED.

Apesar de ser uma edição realmente premium, que para qualquer viciado em áudio ou em discos tem um apelo muito grande, a peça sairá por $10 mil (aproximadamente R$ 32 mil, na cotação atual).


Mas isso não é tudo: para quem deseja o pacote completo, com direito a braço e uma base toda montada, é necessário adquirir o SL-1000R, que custará nada menos que o dobro: $20 mil. É mole?

A expectativa é que os dois modelos sejam lançados no outono (primavera no Hemisfério Norte).

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Tiago Leifert fala merda sobre DJs e deixa comunidade eletrônica pistola



Em cinco minutos, o apresentador conseguiu mandar um monte de senso comum e desmerecer a profissão em rede nacional


Não bastasse a Globo converter ex-BBBs em atacadores de DJ profissionais a rodo — que o diga o Elieser —, Tiago Leifert fez mais um desserviço a todos os DJs do Brasil nesse último final de semana.

No programa de games Zero1 do sábado, 23, o apresentador atingiu o grau nove na escala de falar chorume em tempo real. Segundo o Chorumestats, Leifert atingiu a média de dizer uma besteira a cada sete segundos, um dos níveis mais altos da TV brasileira neste final de ano.


Eis as pérolas, abre aspas:

"– O único trabalho que o DJ tem realmente é pegar a música que tá tocando e colocar na mesma velocidade da outra música.
– Uma vez que o DJ acerta a velocidade, isso aqui [mixer e CDJs] não serve praticamente pra nada.
– Você pode botar um efeitozinho de avião, por exemplo, tipo esse. Um eco… [Emula uma criança de sete anos brincando com os botões de efeito pela primeira vez.] O máximo que dá pra fazer é botar uns efeitos aqui.
– Esses negocinhos que o DJ fica mexendo [frequências do mixer] é o grave, o agudo e o médio. Não é nada, ó! Você não faz nada, só tá tirando o grave, o médio e o agudo.
– O trabalho verdadeiro do DJ, na maior parte do tempo ele tá enganando com isso aqui. O trabalho dele mesmo é escolher a música certa na hora certa, e principalmente hoje em dia, fazer músicas. "


A única parte legal do trecho do programa foi mesmo a divulgação dos remixes do DJ Viradrop, que faz umas produções bacanas em cima de memes nacionais. De resto, o apresentador se puxou em mandar aquele senso comum de quem não faz ideia de tudo o que está por trás da arte do DJ — e isso que ele alega já ter sido um “DJ de verdade”.

Não à toa, os DJs do Brasil todo ficaram full pistola, e têm mandado pra ele durante a semana todo aquele carinho da torcida que a gente já conhece.Leifert, vem cá meu chapa: recomendo você focar menos naqueles sets pré-prontos do David Guetta e dar mais uma olhada nuns lances tipo esses aqui que tô linkando abaixo.


Ou até mesmo trocar uma ideia com teu colega André Marques, que pode te dar uns toques sobre o que realmente significa mandar AQUELE ao vivo. De repente você muda alguns conceitos e para de falar merda sobre a profissão em rede nacional.







quarta-feira, 13 de dezembro de 2017


Aplicativo Shazam é comprado pela Apple

Segundo apuração de site, a aquisição teria girado em torno de 400 milhões de dólares


Depois de rumores acerca da negociação, a Apple confirmou a compra do aplicativo Shazam, cuja sede fica na Inglaterra. O preço final não foi revelado, mas segundo apuração do TechCrunch, a aquisição teria girado em torno de 400 milhões de dólares.

Atualmente o app é conectado ao SnapChat, permitindo descobrir qual som está rolando em uma história do Snap, e também o compartilhamento da descoberta com seus seguidores. Além disso, as músicas reconhecidas pelo Shazam são referenciadas ao seu link na Apple Music, e também podem ser compradas diretamente via iTunes, portanto, podemos esperar a otimização dessas ferramentas e muito mais integração com aplicativos da Apple para breve.


“Estamos empolgados que o Shazam e seu talentoso time irão se juntar à Apple. Desde o lançamento da App Store, o Shazam tem aparecido consistentemente como um dos aplicativos mais populares para iOS. Hoje, ele é usado por centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo em diferentes plataformas”, declarou um representante da empresa ao TechCrunch.

“A Apple Music e o Shazam são uma combinação natural, dividindo uma paixão por descobrir música e entregar grandes experiências musicais para nossos usuários. Temos planos empolgantes na gaveta, e esperamos combiná-los após a aprovação do acordo.”

domingo, 19 de novembro de 2017

Sónar vai comemorar 25 anos mandando música para o espaço

A ideia é enviar músicas de artistas como Nina Kraviz e Laurent Garnier a outro Sistema Solar, em uma tentativa de comunicação com alienígenas

Em 2018, o conceituado festival espanhol Sónar vai trazer uma série de celebrações especiais para comemorar seus 25 anos de existência. E uma dessas atividades é bem inusitada e bem Sónar: mandar música para o espaço sideral, “em uma tentativa de contato com civilizações alienígenas”.

Em junho, o chamado Sónar Calling vai compilar sons criados por 33 artistas próximos ao festival — como Nina Kraviz, Kerri Chandler, Fatima Al Qadiri, Soichi Terada e Laurent Garnier — e mandar essas composições para um planeta que orbita em torno da estrela Luyten, fora do nosso Sistema Solar. O público também está convidado a enviar sons, dentre os quais, três serão selecionados para entrar na brincadeira.

Tudo sairá de uma base da European Incoherent Scatter Scientific Association (EISCAT), próxima à cidade de Tromsø, na Noruega, de onde já foram enviados sons para o mesmo local no mês passado. O destino final fica a exatos 12,4 anos-luz da Terra, e foi escolhido porque pesquisas revelaram que em 25 anos pode haver uma resposta.

O projeto tem parceria com o METI International e o Institute for Space Studies of Catalonia (IEEC). Você pode conferir mais informações no site oficial.




“Não há melhor maneira de comemorar os 25 anos do Sónar do que mandando música para extraterrestres”

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Após longa espera, Ableton anuncia nova versão do Live para 2018


O Ableton Live 10 é a primeira nova versão do software desde 2013


Para produtores e DJs ao redor do mundo, o Ableton Live tem sido uma ferramenta essencial há alguns anos, e a cada atualização o programa vai ficando mais intuitivo. Desde 2013 não saíam novas versões, mas a empresa acaba de anunciar para o início de 2018 o Live 10, e parece que todo tempo de espera vai valer a pena.

Na nova versão, virão novos instrumentos nativos, incluindo um sintetizador com wavetable, e o Max For Live agora é integrado ao programa, exigindo menos CPU. No topo da tela haverá a nova função “Capture”, que salva o que foi tocado mesmo que a gravação não esteja ativada, permitindo ao usuário mais experimentação entre ideias.

Essa função é uma entre várias outras que visam melhorar o workflow, como a nova possibilidade de formar grupos de canais dentro de outros grupos, a edição simultânea de clipes de MIDI e a nova aba “Collections”, em que você pode ir separando seus sons preferidos. Além disso, o backup de cada versão do projeto agora estará disponível caso você queria “voltar no tempo”, e o metrônomo está mais refinado e com mais opções — como a de deixá-lo ligado somente quando se está gravando.

Grandes mudanças também foram feitas para os usuários da controladora Ableton Push, que agora conta com novas formas de visualização na própria interface, de edição de clipes MIDI e de navegação, e uso do sequenciador. Visualmente, o programa parece mais moderno; o design apresenta tons de azul nos knobs e algumas mudanças do uso de cor na linha do tempo, que agora pode ficar mais ou menos colorida.

Para mais detalhes, confira o site oficial da Ableton.